Uma introdução ao fantástico mundo dos webhooks
+55 81 31270881 hi@inlocomedia.com
Reading Time: 2 minutes
Shares

Os webhooks se tornaram um assunto muito comentado no mercado, mas muita gente ainda tem dúvidas sobre o que essa “nova” tecnologia significa.

Graças à popularização de sistemas desenvolvidos a partir da Programação Orientada a Eventos, o uso dos webhooks se tornou praticamente imprescindível.

Mas, o que é um webhook? Não se preocupe, que a gente explica:

Um webhook é uma espécie de “ponte” que liga duas aplicações que trocam informações em tempo real. O webhook entrega dados de forma passiva para qualquer aplicação que esteja ligada a ele quando um evento específico acontece.

Um webhook é uma espécie de “ponte” que liga duas aplicações que trocam informações em tempo real.

Esse tipo de tecnologia é uma forma prática para que um sistema ou aplicativo seja capaz de fornecer outras aplicações com informações em tempo real.

Na prática, o webhook é um fragmento de código ligado a uma aplicação web que é ativado por eventos específicos. Independente do evento que ocorra na aplicação de origem, o webhook é capaz de identificá-lo, coletar os dados e enviá-los para a URL especificada por você na forma de uma requisição HTTP.

Os webhooks são tão maleáveis que é possível, inclusive, configurar um evento em uma determinada aplicação que influencia uma ação em outra aplicação distinta.

Legal, não é?

Qual é a diferença entre um webhook e uma API?

Embora sirvam propósitos parecidos, webhooks e APIs funcionam de formas diferentes. Um texto gringo explicou tão bem a diferença entre os dois, que nós vamos usar a versão traduzida do mesmo exemplo para fins didáticos.

Imagine que você sempre quis abrir uma biblioteca no seu bairro, como o seu projeto paralelo pessoal, onde apenas membros teriam permissão para pegar livros emprestados.

Depois de amadurecer o sonho no campo das ideias, você finalmente se sente preparado para colocar seu plano em ação.

Porém, você é uma pessoa muito ocupada e não poderá estar presente na biblioteca todo o tempo. Por isso, você decide contratar um assistente que vai lhe manter informado sobre todos os empréstimos da biblioteca.

Duas pessoas se inscrevem para a entrevista de emprego:

1. O Sr. André Pedro Inácio (a.k.a. API), é um assistente muito eficiente, que lhe dá respostas sempre que você pergunta algo a ele. Então, se você chegar nele e perguntar “Alguém se inscreveu na biblioteca hoje?”, ele vai te dar uma resposta.

2. Já o Sr. Webster Hooks (a.k.a. Webhook) faz as coisas de um jeitinho diferente. Sempre que alguém faz um cadastro na biblioteca, ele envia automaticamente uma mensagem para você dando detalhes, sem você ter que pedir.

Considerando essa situação, quem você contrataria? O Sr. API ou o Sr. Webook?

A resposta é meio óbvia, não é?

Resumo: para que serve um webhook?

TL;DR

  • Desencadear ações ativadas por eventos específicos
  • Receber dados de formas passiva (não é preciso fazer uma requisição, como no caso das APIs)
  • Interligar aplicações com funcionalidades distintas

Ficou com alguma dúvida ou teve uma experiência bacana com webhooks que gostaria de compartilhar conosco? Sinta-se à vontade para comentar aqui embaixo. Será um prazer conversar com você 🙂

Curtiu?

Então compartilhe com seus amigos!